Linux / PHP / Java / Designer

As melhores dicas estão aqui.

Curso de SQL, trabalhando com Banco de Dados – Parte 1

| 0 comentários

Aqui você aprende todas as funções de operação de um banco de dados e também a programar em SQL.

Esta é uma cópia oficial da matéria publicada em: http://satellasoft.com/materia/curso-de-sql-trabalhando-com-bando-de-dados-parte-1

Para mais matérias de SQL acesse: http://satellasoft.com/categoria/sql

SQL é uma linguagem de consulta estruturada, ela faz um CRUD no banco de dados, onde CRUD é a abreviação de Create, Read, Update and Delete(Criar, ler, alterar e deletar) que são as funções que o SQL exerce.

SQL é a linguagem mais usada em banco de dados, como Oracle, Mysql, Firebird entre outros...Aqui vamos usar o Mysql junto ao PHPMyAdmin para poder apresentar os comandos. A linguagem é a mesma para todos os bancos, não importa se você usa Oracle ou Mysql os  comandos serão o mesmo.

Optei por usar o MySQL com o PHPMyAdmin justamente por que ele é o banco mais utilizado e o PHPMyAdmin é o gerenciador mais conhecido. Você pode fazer Download do XAMPP que já instala o PHPMyAdmin, MySQL e o apache:http://sourceforge.net/projects/xampp/files/

Se você já usa ou conhece outro servidor apache como o EasyPHP ou Wamp não tem problema, utilizei o XAMPP por que é o que tenho instalado.

Depois do XAMPP Instalando, inicialize ele dando um duplo clique em seu ícone e clicando no botão START referente ao MySQL e Apache.

Com o Apache e MySQL Iniciado, abra seu navegador padrão, e acessa a seguinte URL(Endereço) 127.0.0.1/phpmyadmin ou localhost/phpmyadmin.

Agora vamos começar a criar nossos códigos SQL, primeiro note que no lado esquerdo aparece os bancos criados, no lado direito a versão do servidor, note todos estes detalhes para conhecer o ambiente, depois disso procure um botão chamado SQL e clique no mesmo.

Ao clicar aparecerá um campo branco, ele serve para inserirmos nossos códigos e é ele que vamos utilizar, note que abaixo dele temos um botão chamado de executar, depois do nosso código pronto nós temos que executar para que o servidor execute nossos códigos.

Agora você sabe o caminho exato para acessar gerenciador de SQL e também onde devemos inserir nossos códigos, sabe também o que é preciso para rodar o SQL.
Antes de continuamos adianto que qualquer coisa que você precisar fazer no banco de dados não precisa ser feito através de linhas de códigos, o próprio gerenciador de SQL pode fazer isto através de uma interface gráfica, mas como você esta aprendendo SQL então vai ter que ser tudo na Mão mesmo.

Uma coisa muito importante é nunca utilizar palavras reservadas para criar nome de coluna, isto vai gerar vários erros dependendo da extensão da sua tabela, o SQL não é case sensitive tanto faz se você escreve maiúscula ou minúscula, mas vale ressaltar que não tem o por que ficar gritando com o banco.

Acesse nossa matéria que explica e mostram quais são estas palavras reservadas: LINK AKI

Criando um banco de dados.

Para criar algo usamos o comando create, em seguida devemos especificar o que queremos criar que no nosso caso é um banco de dados, database e por ultimo o nome do nosso banco que no caso será cursosql.

Um paradigma que você pode seguir é escrever todos os códigos SQL em letras maiúsculas e apenas os nomes das colunas em minúsculas, assim você consegue identificar partes do seu código muito mais rápido além de ser mais legível.

Depois de terminar sua linha de código não se esqueça de usar o ; (Ponto e virgula) para informar ao interpretador que o nosso código acaba ali.

 

Seguindo o paradigma acima e o comando SQL nosso código para criar um banco de dados é:

Código 01:

1.CREATE DATABASE cursosql;

Insira nosso código dentro do box de comando e clique em executar.

Na parte de cima do box de comando deve aparecer uma mensagem informando se houve sucesso ou não na criação do nosso banco de dados.

No meu caso deu um erro por que contém um banco chamado cursosql, não é permitido ter dois bancos com o mesmo nome, então neste caso vamos ter que excluir este banco.

Como aqui já contém um bando com este nome deu este erro, mas se no MySQL de vocês não tiver aparecerá uma mensagem de sucesso informando que o Banco de Dados foi criado com sucesso.

Deletando um Banco de Dados.

Acima aprendemos como criar um banco de dados, mas se precisarmos deletar um Banco de Dados usamos o comando DROP em seguida informamos o objeto e o nome dele.

Drop tem o significado Cair em inglês mas no SQL é usado para deletar alguma coisa, seja tabela ou um banco.

Nosso comando de deleção é:

Código 02:

1.DROP DATABASE cursosql;

Ao executar este comando no PHPMyAdmin ele pediu uma confirmação se realmente desejo deletar o banco de dados, apliquei sim no campo de escolha e em seguida o banco foi excluído.

Criando uma tabela.

Como vimos acima o comando CREATE cria algo, nos já o usamos para criar um banco de dados e agora vamos utiliza-lo novamente para criar uma tabela.

Antes de prosseguir vamos ter que selecionar o banco de dados que vamos criar a tabela, no PHPMyAdmin contém uma lista de banco de dados no lado esquerdo, clique sobre o banco que criamos anteriormente que se chama cursosql e clique no botão SQL para acessarmos o box de comando referente aquele banco de dados.

Para criar uma tabela é muito fácil, banta usar o comando CREATE TABLEnometabela, neste caso criamos uma tabela chamada nometabela.

Existe um outro jeito mais prático de se criar que é verificar se a tabela não existe, o comando SQL é, CREATE TABLE IF NOT EXISTS nometabela. Criar uma tabela se não existir nometabela.

Uma tabela é formada de linhas e colunas, como ilustrada na imagem abaixo.

Cada coluna devemos especificar o nome dela, tipo de dados que será gravado, o tamanho e se é ou não nulo, para isto vamos criar uma tabela de cadastro de alunos.

Código 03:

1.CREATE TABLE IF NOT EXISTS alunos(
2.al_id INT (5) NOT NULL AUTO_INCREMENT,
3.al_nome VARCHAR (50) NOT NULL,
4.al_email VARCHAR (100) NOT NULL,
5.al_telefone VARCHAR (20) NOT NULL,
6.PRIMARY KEY(al_id)
7.);

Se tudo ocorrer bem, uma mensagem de sucesso deve aparecer na tela.

Agora vamos entender o que é cada palavra que usamos no código acima, mas antes disso note que antes de qualquer nome para a coluna utilizei al_, isto é para que você já se acostume a criar nomes assim para suas colunas, o motivo é simples, você tem duas tabelas alunos e professores, agora você precisa imprimir os dois valores juntos, aluno e seu professor, ambos têm o nome da coluna igual e quando você usar um Inner join (Veremos nas próximas aulas) para retornar o valor das duas tabelas vai dar alguns problemas, vai exibir nome de professor no lugar de aluno, entre outros.

Sempre utilize uma abreviação, quando você for usar um Inner Join não terá nenhum problema, no caso al é abreviação de alunos e o _ é para fazer uma separação.

Na frente de cada nome precisamos especificar que tipo de dado será armazenado naquela coluna, se é texto, numérico, data ou outros.

Varchar é do tipo texto, um campo com o tipo varchar vai receber um texto.
Int é do tipo numérico, um campo com o tipo int recebe valores numéricos inteiros e não quebrados.

(5), (50) os números dentro dos parênteses informa a quantidade de caracteres que podemos utilizar, por exemplo, se no campo al_nome temos o valor 50 para o limite de caracteres, quando o nome ultrapassar 50 caracteres o restante será ignorado, apenas os 50 caracteres será gravado no banco, é muito importante que você defina corretamente estes valores, pois ai já tem uma validação de dados no banco.

Not null, tradução de não nulo, aquela coluna não aceita nenhum valor vazio, é necessário especificar um valor para a coluna, já que a mesma não grava nela se não tiver um valor, isto é uma obrigação quando se usa not null.

Auto_increment, esta função você só de utilizar dentro da chave primária, ou seja, dentro do al_id, toda tabela tem que ter uma chave primária que é a partir dela que será feita todas as alterações, o auto_increment automaticamente vai adicionando números que vai de 0 até o infinito se necessário. No primeiro valor inserido na tabela este campo recebe 0, no próximo 1 no outro 2 e assim vai acrescentando para cada inserção, se houver uma deleção de alguma linha na tabela, por exemplo se deletarmos a linha onde o al_id é 2 nunca mais será inserido nenhum al_id com o valor dois, o próximo al_id a ser inserido é 3.

Primary Key(al_id) é através desta função que informamos ao SQL qual coluna será nossa chave primária, nunca você poderá utilizar outra chave primária quando já houver uma.

Note que no final de cada coluna separamos a próxima através uma vírgula.

 

Adicionando uma nova coluna a tabela.

Depois de sua tabela criada e funcionando 100% você decide adicionar mais uma coluna, para fazer isto usamos o ALTER TABLE que serve para alterar uma tabela em seguida o nome da tabela, por ultimo o comando ADD que serve para adicionar e finalmente as especificações da nossa coluna.

Código 04:

1.ALTER TABLE alunos ADD al_endereco VARCHAR (100) NOT NULL;

Você terá que especificar os dados do campo, aqui adicionou al_endereco do tipo VARCHAR, no máximo 100 caracteres e não será nulo.

Deletando uma tabela.

Você acidentalmente criou uma tabela com o nome errado, ou aquela tabela não tem mais utilidade para você, nesta situação você decide deletar aquela tabela. Para isto usamos o comando DROP que vimos anteriormente que serve para deletar em seguida o que queremos deletar que no caso é uma tabela e para finalizar o nome da tabela que vamos remover.

O comando fica como mostrado abaixo, cuidado em alguns casos banco de dados não costumam pedir confirmação, o PHPMyAdmin pergunta se realmente desejamos fazer esta exclusão, é necessário confirmar para poder deletar a tabela.

Código 05:

1.DROP TABLE cursosql;

Terminamos a primeira parte do curso, aqui aprendemos muitas coisas como Criar banco de dados (database), Criar tabela (table), deletar (drop), adicionar uma nova coluna (alter table xx add) entre mais algumas coisas que serviram de base para vocês, alguma pessoas vão ficar da duvida do por que estou utilizando o PHPMyAdmin para trabalhar com o SQL, e a resposta é que esta matéria servira de base para outras aqui no site e também mostrar que em qualquer gerenciador de banco de dados podemos utilizar comandos e não se acomodar em interface gráfica.

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.